VII - A BARCA DE PEDRO: tem a Missão de Navegar pelo Mar da História. IGREJA DE CRISTO – POVO DE DEUS.

A Barca de Pedro, a Igreja de Cristo, não tem como fugir para outras águas, que não aquelas que lhe são oferecidas pelos leitos e cursos da História concreta da Criação. Para isto, o próprio Deus "CHAMOU OS QUE ELE QUIS... PARA ESTAREM COM ELE.... E PARA ENVIÁ-LOS A ANUNCIAR..."(Mc 3,13-15).

O tempo atual exige de toda a Igreja de Cristo renovar as forças e energias missionárias para honrar a seriedade e emergência do Projeto que Cristo confiou à sua responsabilidade. Afinal a Missão da Igreja é uma Obra organizada e projetada pelo próprio Deus. O ser humano, os que Cristo escolheu, não têm que inventar nem "achar" nada desta Obra-Vida de Igreja. Aos chamados pela Fé em Jesus Cristo, pela Esperança em Jesus Cristo e pelo Amor em Jesus Cristo cabe, verdadeira e unicamente, descobrir o que Cristo espera, o que Ele pede, o que Ele inspira e orienta. Aqui entram a UNIDADE, a COMUNHÃO, a ORTODOXIA DIALÓGICA, o SERVIÇO, em forma de Obras de Misericórdia e amadurecido no compromisso do MINISTÉRIO. Enfim, percebemos que a vida de Igreja a ser buscada e querida precisa ser entendida como realidade gerada e não criada, dinamizada e não inventada, consubstancial ao Cristo Bom Pastor. O DNA da Igreja de Cristo é essencialmente PASTORAL. Sua inspiração é o Cristo Bom Pastor. Sem o perfil do Cristo Bom Pastor, a Igreja é desnecessária. Quem não vive vida de Igreja com o espirito de Cristo, o Bom Pastor, é um falso profeta, condenado pelo próprio Cristo: "Cuidado com os falsos profetas: eles vêm a vocês vestidos com peles de ovelhas, mas, por dentro, são lobos ferozes. Vocês os conheceraõ pelos frutos deles!"(Mt 7,15-16ª).

Você, quando recebe a graça do Batismo Cristão, torna-se identificado com Jesus Cristo: você é Outro Cristo. Você assume a Missão de Cristo: Ele é Sacerdote (Consagrado à Missão), Ele é Pastor (Responde pela Justiça e o Direito de vida digna do Rebanho) e Ele é Rei (Protege com a vida o patrimônio dos valores supremos do Povo de Deus). Poderíamos até parodiar o próprio Cristo, na sua dimensão "humana", em tudo igual a nós, exceto no pecado, no que Ele afirma: "Quem me vê vê também Aquele que me enviou"! O humano batizado deve ser a encarnação de Cristo onde quer que esteja. Precisa assumir o mesmo compromisso de Cristo, ao ponto de poder afirmar, de forma concreta, verdadeira e comprovável esta responsabilidade: "QUEM ME VÊ VÊ AQUELE QUE ME ENVIOU: CRISTO". Esta é a única Missão da Igreja na Terra.

Por isso, o Batismo nos torna Igreja que é una com cristo. Assim nos ensina o atual Catecismo Oficial da Igreja Católica: "Alegremo-nos, portanto, e demos graças por nos termos tornado não somente cristãos, mas o próprio Cristo......Admirai e rejubilai, nós nos tornamos Cristo. Com efeito, uma vez que Ele é a Cabeça e nós somos os Membros deste Corpo Sagrado, o Humano inteiro é constituído por Ele e por nós". Nosso Redentor se apresentou ao mundo como sendo uma só Pessoa Ele e a sua Igreja. Assim como disse: "O Pai e eu somos um"! Também afirmou, claro e em bom tom, que "A MINHA IGREJA E EU SOMOS UM: QUEM VOS OUVE É A MIM QUE OUVE, QUEM VOS ACOLHE É A MIM QUE ACOLHE; QUEM VOS REJEITA É A MIM QUE REJEITA; TUDO O QUE LIGARDES NA TERRA SERÁ LIGADO NO CÉU; TUDO O QUE DESLIGARDES NA TERRA SERÁ DESLIGADO NO CÉU"! Precisamos, com urgência, junto com o Papa Francisco, assumir maduramente esta forma de ser cristão de verdade e pra valer mesmo, senão seremos uma lástima e sofreremos uma tremenda perda de tempo nesta vida, com o risco de perder a verdadeira na eternidade.